Como se relacionar com a geração Y

y

Quantas mensagens subliminares você consegue colocar em:

 

Textos

Músicas

Piadas

Conversas

Fotos no Instagram

 

Recados cruzados, frases sem sentido. A vontade de dizer no meio do dia que “você está fudendo a minha vida”.

(Na verdade eu disse)

Quantas desculpas, justificativas, mentiras você é capaz de inventar para fingir para você mesmo que é possível que aconteça alguma coisa, essas mágicas de relacionamentos que são orgânicos quando tem que acontecer.

Enquanto entre vocês dois tudo o que aconteceu foi:

 

Truncado

Dolorido

Intenso

 

Marcas da boca dele no seu braço e você de casaco no dia mais quente do ano.

E ai você enche o saco. E se apaixona por alguém que está:

 

Disponivel,

Apaixonado,

Leve.

 

E você torce para relevar a forma com que ele resolve a própria vida porque por mais que o outro seja:

 

Passional,

Pervertido,

Estável

 

E isso tudo seja atraente para os seus tão esperados:

30 e poucos anos.

 

Esse, que parece tão certo por fora, faz um estrago do tamanho de uma galaxia no seu peito.

Mas uma coisa eu te digo:

O  corpo quer o que o corpo quer.

Mesmo que de vez em quando você engane o coração.

 

(E nós sempre teremos 13 anos, mesmo quando amamos depois dos 30)

 

……………………………

Paula Gicovate nasceu em Campos dos Goytacazes, em 1985, e mora no Rio de Janeiro desde 2004. Cursou Letras – Formação de Escritor na PUC-RIO. Publicou dois livros de contos – “Sobre (o) tudo que transborda” e “D4” (Multifoco, 2009) – e em 2014 lançou seu primeiro romance, “Este é um livro sobre amor”, pela Guarda-Chuva. Atualmente escreve roteiros, livros e cartas de amor. Ela assina uma coluna mensal no blog da GC.
 
……………………………
 
 
 

Comentários fechados

© Editora Guarda-Chuva 2016